domingo, junho 26, 2016

Ciao!!!



JULIA QUINN, 

CRIATURA, 

QUE PRÓLOGO
 É ESSE?!?!

A Caminho do Altar – Julia Quinn – Arqueiro
(On the way to wedding – 2006)
Personagens: Lucinda “Lucy” Abernathy e Gregory Bridgerton

Ter nascido e crescido em uma família repleta de amor verdadeiro deu a Gregory a certeza de que também se casaria apenas com a pessoa que amasse e que ele saberia o momento em que a encontrasse. Por isso, se sentiu atropelado ao conhecer Hermione Watson e se apaixonar apenas ao ver a nuca da jovem. No entanto, para surpresa dele, não foi correspondido. Mas podia contar com a ajuda da pragmática Lucy. A melhor amiga queria ver Hermione casando-se com alguém digno dela e o Sr. Bridgerton era uma excelente opção. Afinal de contas – exceto ela, lógico, uma quase noiva -, quem não gostaria de se casar com ele?

Comentários:

- Se você estiver sem tempo de ler, não caia na tentação de dar uma espiadinha no livro, achando que é como algum que já leu. Não é. Você não terá sossego se cair na tentação de ler o prólogo. Vai por mim. Fiz esta bobagem. E me arrependi profundamente. Se você for do tipo curioso, não vai sossegar até saber o que acontece após o prólogo. E se tiver que, como eu tive, cuidar de outras coisas, vai ficar curioso - e com raiva por estar curioso - por horas. Julia Quinn, sua má! O prólogo é infernal! Não te deixa ter vida. Por isso só leia se puder engrenar na leitura. Aí sim, embarque e seja feliz!

- No livro do Colin, Eloise diz que não esperava certas atitudes dele, mas de Benedict, "porque ele é louco". No fim das contas, a frase serve especialmente para Gregory. O caçula dentre os rapazes Bridgerton acaba sendo o personagem mais misterioso da série, porque a gente sabe que ele estava crescendo e estudando em Eton, mas nada além disso, já que o foco das histórias estava nos demais irmãos. Até o livro da Hyacinth, onde temos finalmente mais do Gregory porque ele era o irmão mais próximo dela em idade e os dois implicavam o tempo todo um com o outro.

- Agora chegamos ao momento de saber mais sobre ele e o fundamental é que ele é um romântico inverterado. Afinal de contas, diante de tantos exemplos de amor verdadeiro na família, não tinha como não achar que o amor não existia. Ele só não sabia quando encontraria a mulher a quem estava destinado. Até o momento em que foi fulminado pela descoberta do amor - ao observar a nuca de uma jovem. Gregory soube: era a sua eleita.

- Só que Hermione Watson também tinha sido fulminada ao ver a nuca... de outro. Por isso, rechaçava todos os pretendentes. Que eram muitos porque ela era linda e deslumbrante, praticamente perfeita em tudo. Para se livrar do incômodo contava com o apoio da amiga Lucy. A pragmática, centrada e cumpridora dos deveres Lucy, que estava praticamente noiva desde que se entendia por gente. E não entendia como a amiga que poderia ter qualquer um aos seus pés, se apaixonou por um simples secretário. E decidiu ajudá-la a tomar o caminho certo: que seria o lindo Sr. Bridgerton, de família bem relacionada.

- Não sei se a Julia Quinn conhece Carlos Drummond de Andrade, mas enquanto lia A caminho do altar, só pensava no poema dele chamado Quadrilha (que demorei para perceber toda a tristeza de desencontros amorosos que ele resume)

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili,
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.

- Julia Quinn tece, à sua maneira, uma quadrilha tão movimentada como a de Drummond, mas graças a Deus de final menos trágico. Temos o confronto entre pragmatismo e romantismo como forma de encarar os relacionamentos sociais da época: as jovens que procuravam marido, as famílias empurrando/forçando os rapazes ao casamento. O mais divertido é ver Gregory lidando com um "amor à primeira vista" meio míope, que precisava de um óculos para focar na pessoa certa. Como que algumas pessoas, em diferentes circunstâncias, viveram as mesmas coisas e sensações. 

- E embora Anthony tenha sido o pai do caçula dos meninos, Gregory parece que saiu do mesmo ramo que deu Benedict ao mundo. Sabe a tal loucura mencionada por Eloise, não era nada perto do que ele é capaz de fazer aqui (não estou reclamando, foi lindo exatamente do jeito que foi escrito). O livro é divertido, engraçado, atrapalhado, romântico, destrambelhado, exatamente como seus protagonistas tentam não ser, mas o amor os leva a agir assim. Colin, Anthony, Kate e Hyacint aparecem. Benedict (pra minha tristeza) é citado (porque está feliz da vida morando no interior com Sophie e as crianças). E mamãe Violet ainda rouba a cena sempre que aparece! 

No fim das contas, só porque adoro citar Drummond, segue mais um que resume bem a jornada de Gregory rumo ao seu final feliz à la Bridgerton.

As sem-razões do amor

Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

Corre, Gregory, corre! E seja muito feliz!!!!

Eis a lista completa da série Bridgertons, com o nome de cada casal protagonista.

1. The Duke and I (2000) - O Duque e Eu – Daphne Bridgerton e Simon Basset.
2. The Viscount Who Loved Me (2000) – O Visconde que me amava – Anthony Bridgerton e Kate Sheffield
3. An Offer from a Gentleman (2001) – Um perfeito cavalheiro – Benedict Bridgerton e Sophie Beckett.
4. Romancing Mr. Bridgerton (2002) – Os segredos de Colin Bridgerton – Colin Bridgerton e Penelope Featherington.
5. To Sir Philip, with Love (2003) – Para Sir Philip, com amor - Eloise Bridgerton e Sir Phillip Crane
6. When He Was Wicked (2004) – O conde enfeitiçado – Francesca Bridgerton Stirling e Michael Stirling
7. It's in His Kiss (2005) – Um beijo inesquecível - Hyacinth Bridgerton e Gareth St. Clair
8. On the Way to the Wedding (2006) – A caminho do altarLucinda “Lucy” Abernathy e Gregory Bridgerton
9. The Bridgertons: Happily ever afterE viveram felizes para sempre – epílogos para toda a família


Bacci!!!

Beta
Reações:

Um comentário :

  1. Eu creio que eu amarei ler este romance quando chegar sua vez de ser lido (com muita curiosidade), principalmente porque é romântico demais ao extremo apaixonar-se por alguém por ter visto sua nuca (pior que joelho) !!! Um aparte: eu não gosto desse nome - Lucinda - por conta de seu som. E como assim ela quis dar Gregory de presente para sua amiga por eles serem perfeitos um para outro ?! Eu estou muito mais curiosa ainda !

    Um homem ficar tão apaixonado desse jeito tão facilmente seria loucura ! Mas será uma loucura deliciosa de ler vindo de mãos de Julia Quinn ! Certo que ele viu seus irmãos e seus pais serem felizes com amor perdidamente mas ele está sendo ultra-romântico sem precedentes, com uma cúmplice equivocada à espera de um noivo antigo que esteve fazendo-a de tonta com tanta espera sem sentido. Que noivo antigo nada, mulher !

    ResponderExcluir