quarta-feira, setembro 20, 2017

 Ciao!


Na Kindle Week da Amazon.com.br, alguns dos e-books da autora Flávia Cunha estão em promoção até 24 de setembro.
Confira!!!












Saiba tudo sobre essas e outras novidades!

domingo, setembro 17, 2017

Ciao!!!




Nobre e plebeia. Uma herança. Planos a serem mudados. Vidas conduzidas por um testamento.
Tive um pequeno problema, mas foi uma leitura boa.

A outra história desta edição é O segredo através do véu, de Dani Collins.

Preciosa Promessa – Susan Stephens – Jessica 2 Histórias 281 (Surpresas do Destino)
(A diamond for Del Rio’s housekeeper – 2016 – Mills & Boon Modern Romance)
Personagens: Rosie Clifton e Don Xavier Del Rio

A órfã Rosie se tornou a herdeira de metade da Isla del Rey, o primeiro lugar onde teve a sensação de ser livre e distante da realidade do orfanato em que crescera. O problema é que o outro herdeiro, Don Xavier Del Rio, tem planos que não incluem a preservação da hacienda. E ele está disposto a recompensá-la se ela não o atrapalhar. Só que ser doce e romântica não significava que Rosie era manipulável. E teriam que encontrar outra solução.

Comentários:

- Primeiro, gostaria de dizer que li este livro em um dia de muito mal humor. Leia-se: encarar filas para resolver problemas não é a minha noção de felicidade. Para vocês terem ideia, eu li 42 páginas até ser chamada em um dos locais onde aguardei. Isso pode ter afetado um pouco a minha disposição para o duelo de vontades entre o nobre e a governanta que disputam a herança deixada por uma idosa que sabia que iria conseguir o que queria.

- Rosie tinha saído do orfanato e aceitou ser a cuidadora de Doña Anna, uma mulher de personalidade forte, e que não aceitava qualquer um em seus domínios. Por incrível que pareça, ela se deu bem com a jovem órfã, que se tornou uma companhia mais interessante que havia planejado. Ela tinha paciência em ouvir, disposição em ajudar e não se intimidava com o temperamento da dona da casa.

- Xavier tinha sido a criança indesejada em um relacionamento tumultuado. Não conseguiu encarar o período que passou na ilha como algo que fosse para o bem dele, mas como um castigo e por isso foi embora para nunca mais voltar. Ao receber a herança se sentiu frustrado ao saber da divisão. E não foi a mais aberta das pessoas a fazer alterações no seu planejamento. E sejamos sinceras, também não foi a mais gentil das pessoas com Rosie, que era sabidamente mais jovem, impressionável e sem a menor condição de transitar na sociedade. Ele a colocou em um balaio que dizia “problema a ser removido” e transformou as desvantagens dela em pontos a serem atacados. Assim ela seria convencida a aceitar o que ele queria – compensação financeira e bye, bye Isla del Rio – e ainda se sentir grata! (Deu pra sentir que não curti nada a atitude da criatura, né?)

- Pra azar dele, Rosie não é tão frágil como ele pensava. Romântica, ingênua, sonhadora, sim. No entanto, ela tinha um compromisso pessoal de ajudar os moradores da região, que a acolheram como uma deles. E sabia que Xavier não considerava isso. Ela lutava por ser a última esperança deles e tinha aprendido com Doña Anna a não se deixar intimidar. Este é um ponto positivo da história. No entanto, há momentos em que ela age excessivamente de forma sonhadora, o que a torna chatinha e vulnerável ao homem mais poderoso.

- Em alguns momentos, a história fica meio arrasada. Isso somado à minha antipatia pelo protagonista “todo-poderoso” e ao mau humor pelo excesso de filas para se resolver as coisas me deu a sensação
de que a trama estava muito lenta. É uma leitura boa, infelizmente, eu não estava em bom dia para lidar com os aspectos menos favoráveis dela (sim, ainda estou indignada pela atitude do Xavier na parte inicial do livro – escorpianos demoram a esfriar).


Bacci!!!

Beta

sábado, setembro 16, 2017

Ciao!


  
Confesso que demorei a engrenar com o livro, por falta de simpatia com a protagonista. Mas quando engrenei, valeu muito a pena.

A minha vida não tão perfeita – Sophie Kinsella – Editora Record
(My not so perfect life – 2017)
Personagens: Katie-Cat Brenner

Katie queria deixar de ser a garota de Somerset e se tornar Cat, uma vitoriosa e bem sucedida executiva do mercado publicitário de Londres. No entanto, era apenas a garota da pesquisa - ainda bem longe de ser alguém relevante, alguém como a chefe Demeter. Enquanto se vê presa no ciclo de desejar a vida que não tem e sem começar o caminho para conseguir, muitas reviravoltas irão acontecer. E ao colocar a vida no trilhos, ela vai perceber o óbvio: ninguém tem a vida perfeita. Nem ela. Nem Demeter.

Comentários:

Twenty-five years and my life is still
I'm trying to get up that great big hill of hope
For a destination

- O mundo atual nos pressiona a buscar um ideal de vida perfeita. Lamentalvemente, na maioria das vezes, nunca é a que nós temos, mas sempre a de outra pessoa. Aquela coisa de que a grama do vizinho é sempre mais verde foi potencializado com as redes sociais. No entanto, a gente nunca sabe o que há realmente por trás das fotos e vídeos do Instagram. E muitas pessoas se apegam a isso de tal forma que precisam fingir que vivem o que não possuem ou não fazem. Isso gera insatisfação e em algum momento a frustração vai virar um problemão.
Mas veja bem: não sou invejosa. Não exatamente. Não quero ser a Demeter. Não quero as coisas dela. Sei lá, tenho só 26 anos. O que eu faria com um SUV da Volvo? 
- Katie queria se afirmar, mostrar potencial, se destacar na multidão... mas nem era percebida no escritório da empresa que trabalhava. Era a garota que copilava dados de pesquisas. Uau. Nada glamoroso, brilhante e vencedor. Ela queria o estilo de vida da chefe, Demeter, aquela vida cintilante de família bonita, filhos bonitos, casa perfeita, vida social esfuziante, admirada, invejada.
Mas, quando olha para ela, sinto um comichão de... alguma coisa, e penso: será que poderia ser comigo? Teria como ser comigo? Quando tiver condições, eu poderia ter a vida da Demeter? Não são só as coisas materiais, falo da confiança também. Do estilo. Da sofisticação. Dos contatos dela. Mesmo que demorasse vinte anos, eu não me importaria - na verdade, ficaria em êxtase! Se você me dissesse Olha só, se você se esforçar bastante, daqui a vinte anos terá essa vida, eu iria com tudo para chegar a esse ponto.
- Quando tudo desmorona, Katie é forçada a se reconectar com ela mesma, com a vida, com a família e com os sonhos que construiu e não realizou. É neste momento que o livro fica muito bom. Porque após das decepções, ela não percebe que está se reiventando e mudando a visão de mundo. Katie viu os sonhos de grandeza implodirem e precisou fazer o melhor possível com a realidade. E foi quando ela deixou de soar como uma chata invejosa e se tornou gente como a gente: com sonhos que gostaria de realizar, com desafios cotidianos a serem superados. Simples assim.

- Neste meio tempo, além de Demeter, vamos conhecer os colegas de trabalho e os outros que dividem a casa com a protagonista em Londres. E vocês ouviram falar em glamping? Confesso que não tinha a menor ideia do que era isso (digamos que estou lidando com uma série de “eita!” atrás de “eita!” e não está dando muito tempo de acompanhar tendências) e gostei de entender o conceito do início ao projeto final. 

- Fique bem atento porque tdo mundo tem alguma importância no amadurecimento e no desabrochar de Katie. É assim que ela vai entender que a graça da vida não está em fingir uma perfeição que não existe, que soa inalcançável e só serve para oprimir e frustrar. Está na gente encontrar a beleza nas imperfeições do dia a dia.

Bacci!!!


Beta

quarta-feira, setembro 13, 2017

 Ciao!


E a vida segue após a Bienal do Rio! Neste mês os cowboys da Flavinha estão facinhos, facinhos para quem ainda não leu.... Confira!






                          Ebook por apenas R$5,99

Saiba tudo sobre essas e outras novidades!

domingo, setembro 10, 2017

Ciao!



Depois de muito tempo, retomei a leitura desta série. #MadreHooligan ficou curiosa e comprou os livros finais para saber o desfecho.

A Garota do Calendário: Setembro – Audrey Carlan – Verus
(Calendar Girl: July – 2015)
Personagens: Mia Saunders

Se é possível que tudo virasse do avesso, virou. Mia perdeu o cliente do mês, o pai piorou no hospital, Wes estava no exterior e não dava notícias e Blaine cobrava a dívida e exigia o pagamento. Para piorar, Mia se sentia sufocada e não admitia pedir ajuda de ninguém – e ainda se ressentia de quem tentava interferir, como Max. Será que ela consegue chegar totalmente sã até o fim do mês.

Comentários:

- Ok, sabe aquele momento que a gente enfrenta às vezes em que tudo dá errado. Mas MUITO errado mesmo? Então, setembro foi o mês “a casa caiu” da Mia. Parecia que alguém pegou aquelas coisas de canal de venda: “mas espera aí que tem mais!”. Nem novella mexicana define a quantidade de desgraça que acontece aqui. Houve um momento que fiz uma pausa pra respirar, o que parece meio exagerado em se tratando de uma trama de 128 páginas.

- Acontece muita coisa ruim e que piora por causa de Mia. O ano inteiro – até agora – trouxe várias pessoas que se importam com ela (incluindo aí a evelação bombástica de Agosto). E mesmo assim, a cabeçuda insiste em querer lutar contra o mundo, tudo e todos, sozinha. Para piorar, ainda se ressentia de quem tentava interferir pelo bem dela. Houve um momento que fiquei com raiva dela, sinceramente. Posso dizer, por experiência recente, que tem horas que não dá pra carregar o mundo nas costas sem ajuda – será esmagado. Após tantas desgraceiras, algumas coisas mudaram e espero que Mia aprenda a lidar melhor com as consequências.

- Por ser uma história curta, não posso entrar em detalhes. Mas devo destacar duas coisas: achei que a autora pegou pesado com Wes, que sempre foi um personagem solar e positivo. Não sei o que será dele depois dos acontecimentos narrados aqui. E Max é o tipo de pessoa que todo mundo gostaria de ter ao seu lado – aquele que compra as nossas brigas e nos ajuda mesmo quando a mula empacada da Mia é incapaz de perceber isso.

A garota do calendário
1 – January – Janeiro: Weston Charles Channing III
2 – February – Fevereiro: Alec Dubois
3 – March – Março: Anthony Fasano
4 – April – Abril: Mason Murphy
5 – May – Maio: Tai Niko
6 – June – Junho: Warren Shipley
7 – July – Julho: Anton Santiago
8 – August – Agosto: Maxwell Cunningham
9 – 
September – Setembro: sem cliente
10 – October – Outubro
11 – November – Novembro
12 – December - Dezembro


Bacci!!!


Beta