segunda-feira, abril 24, 2017

Ciao!!!




Coelhinho da Páscoa passou e deixou dicas de livros como presentes para acompanhar o chocolate!
Confira as opções indicadas pela Harlequin Brasil!
Confiram!




AMOR PROFUNDO - MAGGIE COX

Um segredo precioso.
Uma mulher obstinada.

Após descobrir que tem um herdeiro, o sheik Zafir el-Khalil está disposto a tudo para proteger a criança… até mesmo se casar com a mulher que o traiu. Porém, Darcy Carrick não é mais a menina inocente que ele conhecera, e se recusa a se submeter às ordens de Zafir. No passado, o coração dela se derreteria ao ouvi-lo pedindo que ela se torne sua esposa. Agora, ele precisará de muito mais do que apenas palavras doces e toques sedutores para convencer Darcy a ser sua rainha!






PROPOSTA PERIGOSA - ANNIE WEST

Uma beleza intrigante.

O poderoso Rafaelle Petri precisa da ajuda da pesquisadora Lily Nolan para concluir seu plano de vingança. Após o acidente que a marcou para sempre,Lily se manteve reclusa, escondida dos olhares cruéis. E trabalhar para um homem tão lindo quanto Rafaelle só faz suas imperfeições se destacarem ainda mais. Até um beijo despertar o desejo que Lily não imaginava possuir.Com a perigosa retaliação de Rafaelle se aproximando,ela precisa usar a recém-encontrada autoconfiança para livrá-lo das amarras do passado. Mas será que Rafaelle está disposto a abrir mão de tudo em nome do amor?

UMA NOITE NO DESERTO - KATE HARDY

Dominada pelo sheik.

Assim que Karim al-Hassan vê a sensual Lily Finch, ele decide conquistá-la. E o beijo escaldante que trocaram despertou em Karim um desejo que precisa ser saciado.
Bem-sucedida e focada na carreira, Lily não pretendia misturar negócios com prazer… até a sedução implacável de Karim estraçalhar sua resistência. Ele só estava interessado em um caso passageiro, mas não demora para Karim começar a querer tê-la para sempre em sua cama.

E ainda...


  



DESAFIADOS PELA EMOÇÃO – MAUREEN CHILD & ELIZABETH BEVARLY

BUSCA PELA FELICIDADE – Maureen Child
Uma segunda chance?

Depois de dois longos anos, Sam Wyatt está de volta à cidade, trazendo grandes planos para os negócios da família. Mas, antes, ele precisa encarar as pes­soas que deixou para trás… incluindo a mulher que nunca conseguiu esquecer. Lacy Sills ainda não ha­via superado o abandono do marido, e fica chocada ao descobrir que ele será seu novo chefe! Ela sabe que trabalhar ao lado de Sam significa se entregar ao seus encantos. Mas ao descobrir os motivos que o levaram a reatar o relacionamento, ela entende que jamais poderá perdoá-lo. E nem mesmo uma re­viravolta do destino a faria mudar de ideia…

PROMESSAS POR UMA NOITE – Elizabeth Bevarly
Um desafio inigualável!

Encantamento não era algo que o bilionário Marcus Fallon estava acostumado a sentir. Porém, quando seus olhos cruzaram com os de Della Hannan, ele sabia que precisava tê-la. Quando um beijo abre caminho para a rendição, Marcus percebe que uma noite não seria suficiente. O problema é que Della não queria um relacionamento sério! E, pela primei­ra vez na vida, esse infame playboy percebe que o jogo virou: a única mulher que ele realmente deseja não tem intenção alguma de ficar ao seu lado.


SENTIMENTO & ATRAÇÃO – SUSAN STEPHENS & JULIA JAMES

A SERVIÇO DA PAIXÃO - Susan Stephens
Um amor impossível!

O sheik Shazim Al Q'Aqabi fica intrigado ao descobrir que Isla Sinclair fora escolhida para transformar o sonho de seu falecido irmão em realidade. Afinal, ele a vira trabalhando como dançarina em uma boate de Londres. Porém, a personalidade enérgica dela era como uma brisa fresca no calor do deserto. Em toda a sua vida, Shazim só havia se relacionado com o trabalho. Agora, ele está considerando uma forma mais prazerosa de passar suas noites, mas envolver-se com uma mulher tão inadequada é um ato de traição.Será que ele está disposto a abrir mão de tudo para ficar com Isla?

DESCOBERTA DO DESEJO - Julia James
Um conto de fadas?

Destratada pela madrasta e pela meia-irmã, Ellen Mountford vive às margens da família, sentindo-se indigna e rejeitada. Contudo, quando o poderoso magnata Max Vasilikos aparece querendo comprar a propriedade que pertencera ao pai dela, Ellen sabe que não pode mais se omitir. Sob o olhar arrogante do imponente grego, ela luta com a vontade de se esconder e o enfrenta. Intrigado, Max a convida para um baile de gala, e fica perplexo com a transformação. Agora, Ellen não é mais a reclusa desajeitada que ele conheceu, e sim uma bela mulher… e Max não consegue pensar em outra coisa além de seduzi-la.

UM AMOR INESPERADO - SHANNON STACEY

Feitos um para o outro?

Liz Kowalski não pretendia se envolver com o melhor ami¬go de seu irmão, mas também não imaginava que seria tão difícil resistir a Drew!
Ele, por sua vez, está cansa¬do de romances passageiros. E por mais que seu encontro com Liz tenha sido maravilhoso, Drew sabe que eles não têm futuro.
Tudo muda durante o acampamento anual dos Kowalski. Em meio à família, amigos e muita lama, Drew e Liz tentam lutar com o sentimento que cresce entre eles. Passar um tempo a sós sob as estrelas pode ser exatamente a solução para juntar duas pessoas determinadas a não se apaixonarem…



Visite também no 
Pinterest e no site da Harlequin Brasil

Bacci!!!

Beta

domingo, abril 23, 2017

Ciao!!!!

Comemorar 12 anos é claro que tem mais surpresa! Temos a segunda edição do #LdMEntrevista do #AbrilImperdível com a autora Samanta Holtz – detalhe: hoje, dia do livro, é aniversário dela!!!
Obrigada, Samanta, que bom que conseguimos! E tudo de bom para você!

#LdMEntrevista: Samanta Holtz


– Você aprendeu a ler aos cinco anos (eu aprendi aos seis, depois que minha mãe me ensinou o alfabeto e venceu uma luta inglória contra o maligno “f”). Quais as suas primeiras lembranças de conhecer e se encantar por este universo?
Em primeiro lugar, querida, obrigada pelo convite para a entrevista! :) Eu era bem pequena, mas me lembro do dia em que peguei um gibi da Turma da Mônica e, quando me dei conta, percebi que conseguia entender o que estava escrito nos balõezinhos das falas. Fui correndo até minha mãe confirmar se era aquilo mesmo que o personagem estava dizendo e, quando ela respondeu que sim, fiquei toda orgulhosa e contei: "Eu li!!!". Foi uma sensação tão gostosa! Fiquei muito feliz, especialmente porque agora não precisaria mais que alguém lesse as historinhas para mim (risos). E eu já amava histórias desde aquela época! Não somente eu, mas minhas irmãs também, e acabamos tendo um baú imenso cheio de revistinhas da Turma da Mônica, que ganhava novos exemplares toda semana. Sexta-feira era o dia de comprar gibis, e a gente amava isso! Tanto que, aos sete anos, comecei a criar minhas próprias histórias em quadrinhos com personagens que inventei (o casal "Lino e Linoa"), na esperança de, um dia, ir trabalhar com o Maurício de Sousa. Já era minha meta! (risos) Com o tempo, claro, comecei a ir além dos gibis e a ler poesias, fantasia, romances... e a encher cadernos com minhas próprias criações, mesmo sem imaginar que um dia poderia viver disso!

– Como surgiu o interesse em criar histórias? Como foi a trajetória até você, mais que se sentir, se assumir escritora?
Começou com as histórias em quadrinhos que eu criava, na infância, na intenção de "ir praticando para um dia trabalhar com o Maurício de Sousa" (risos). Uma meta ousada para uma criança de apenas 7 anos, mas talvez já fosse a voz da escritora interior pedindo para ser libertada! Depois disso, vieram os cadernos de poesias, reflexões, contos, as historinhas que eu escrevia para dar de presente aos professores... e, claro, como leitora, tornei-me apaixonada por romances. Até que um dia, aos 14 anos, comecei a escrever um conto. A mão mesmo, no final de um caderno velho. Levava o caderno comigo pra todo canto e, quando vi, a história já tinha ganhado muito mais dimensão do que eu havia previsto e o caderno não dava mais conta. Passei tudo para o computador e, como eu estudava, e como éramos em 3 irmãs e revezávamos o uso do PC para ficarmos na internet, eu às vezes esperava as madrugadas para ter o computador livre para mim. Cerca de 2 anos depois, aos 16 anos, concluí o que percebi ser meu primeiro romance. Era a primeira versão de "Renascer de um Outono". Aquilo era muito novo para mim, mas criei coragem, mandei imprimir algumas cópias em uma gráfica da cidade e dei para alguns familiares lerem. Quando eu vi minha irmã viciada na leitura (ela andava pela rua com o livro aberto, lendo) e chorando horrores no quarto, certa noite, por causa do que eu havia escrito, dei-me conta de como aquilo era poderoso. E, mais ainda: quanto eu queria ser capaz de provocar aquela reação não somente em minhas irmãs, mãe e tias, mas no mundo! Embora não achasse que "ser escritora" fosse algo que eu pudesse conseguir. Aquilo era para poucos, não para uma adolescente de uma cidadezinha do interior. Era como eu pensava, e não tinha muita coragem nem para tentar. O que me encorajou foi quando dei meu livro para Ernides Martelli, professora de Português da época que sempre incentivou minha escrita (e é minha leitora até hoje). Fiquei apreensiva com a opinião dela, mas, quando ela me devolveu o livro, enviou junto um bilhete do qual nunca me esqueci, e que ainda tenho guardado comigo. Ela dizia, entre outras coisas, que meu livro era magnânimo. E não parou de elogiar minha história, quando conversamos sobre ela. Foi então que pensei: "Caramba... se ela gostou... acho que eu poderia tentar, não?". Foi aí que começou a jornada de registro em Biblioteca Nacional, envio às editoras e uma enxurrada de "nãos" até que os primeiros "sim" começassem a aparecer! 

 – Como é a Samanta leitora? Que tipo de história mais atrai a sua atenção? Quem te faz pegar um livro pra ler sem nem olhar a sinopse?
Meu gênero favorito, tanto para ler quanto para escrever, é romance. Também gosto de mistérios, histórias em que você vai desvendando tudo com o personagem... isso me prende demais! E autores cujos livros compro sem nem ler a sinopse são: Maurício Gomyde, Carina Rissi, Sophie Kinsella, Dan Brown e Nicholas Sparks. Dos internacionais, tive a honra de conhecer o Nicholas em sua última vinda ao Brasil, no início do mês - e como sua colega de editora! Fiquei muito feliz porque amo e admiro o trabalho dele tanto como leitora quanto como escritora!

 – Qual é o seu processo de escrita? Gosta de planejar? Como percebe que uma ideia pode se tornar algo maior?
Sim, é preciso planejamento antes de se sentar e escrever uma história. Claro, há os rompantes de inspiração e criatividade que jamais devem ser desperdiçados... e, quando acontecem, o que eu faço (e aconselho!) é que o escritor pegue o que estiver ao seu alcance, seja um caderno, o computador, o celular, e escreva tudo o que o coração está despejando. Do jeito que vier, sem filtros, sem receio do que está acontecendo ali! Mas, na hora de compor a história, os capítulos e sua versão final, acho importante ter um roteiro montado, o começo, meio e fim bem desenhados, personagens construídos e pesquisas em relação aos cenários, época, realidade dos personagens e o que mais for preciso. Gosto de estar bem preparada antes de começar a escrita em si porque, senão, as lacunas deixadas pela falta de pesquisa ou de preparo podem virar bloqueio no processo criativo. E, isso, escritor nenhum quer! (risos) Quanto a perceber que uma ideia pode virar algo maior, eu meço por minha empolgação e pelo frio na barriga. Sim, minhas melhores ideias e as melhores conexões / viradas / surpresas despertaram frio na barriga! Penso que uma ideia só vai empolgar e emocionar os leitores se antes ela tiver feito isso comigo. É por isso que julgo as ideias com base no que fazem me sentir. Isso reflete o que quero levar aos meus leitores!

– Vou te perguntar uma coisa que sempre me deixa curiosa: qual é a parte mais difícil: ter a ideia, desenvolver a ideia, tirar aquilo que não acrescenta à trama ou dar um título a ela? (Ao escrever meus textos jornalísticos, enfrento diariamente isso e, posso te dizer, na maioria das vezes, o título é meu inferno pessoal).
hahahahaha "meu inferno pessoal" foi ótima! rs... Até hoje, não tive muito problema com títulos. Eles acabam surgindo enquanto desenvolvo a ideia, e são quase sempre uma das primeiras coisas que defino. Deixo em aberto, com a possibilidade de mudar caso eu perceba, durante a escrita, que há outro título ainda melhor, mas raramente isso acontece. Normalmente meu primeiro palpite é o que fica! Aconteceu com todos os livros, e já aconteceu com o novo que estou escrevendo agora também! Acredito que a parte mais difícil, para mim, seja os ajustes da revisão e da preparação do original para publicação... quando eu ou a editora percebemos um detalhe que pode ser cortado ou mudado, mas sabemos que, para isso, é preciso analisar todo o desenrolar da trama e talvez mexer em mais alguma coisa para que ela continue a fazer sentido após as mudanças, e a história continue a fluir bem. Afinal, se você ficar mudando, cortando e acrescentando cenas individuais sem prestar atenção no impacto ao desenrolar da trama, seu livro vira um "Frankstein de cenas" (risos). Essa parte é a mais delicada não somente por ser trabalhosa, mas porque exige de mim, como autora, abrir mão do apego que posso vir a ter a certas cenas, falas e personagens para mexer no que for preciso sem sentimentalismo. É um momento de deixar a técnica falar mais alto do que a paixão, e eu sou muuuuito movida pela paixão! (risos)

– Eu li Quando o amor bater à sua porta e gostei muito. E você também escreveu O Pássaro, Quero ser Beth Levitt e Renascer de um Outono. Para quem ainda não conhece o seu trabalho, fale um pouco sobre eles e como você lidou com as particularidades de cada trama.
Que bom saber que gostou de "Quando o amor bater à sua porta"! Este livro (lançado em 2016) tem um significado muito especial para mim, pois marcou minha entrada na Arqueiro, editora que sempre amei e admirei, e da qual agora faço parte. Amei muito trabalhar com eles! O livro conta a história da Malu, uma escritora de 29 anos que mora em Curitiba e, embora seja famosa por escrever histórias apaixonantes, ela não acredita no amor. É, na verdade, uma pessoa amarga. Até que, certo dia, um desconhecido bate à porta da sua casa dizendo que perdeu sofreu um acidente de carro e perdeu tudo, inclusive a memória e os documentos. Só o que encontrou, no bolso do paletó, foi um formulário com uma reunião agendada com a escritora, porém nem ela e nem a atrapalhada secretária encontram qualquer vestígio daquele agendamento ou alguma pista de quem ele seja. Malu resiste a acreditar na história dele e em ajudá-lo, mas, quando aquilo se torna quase inevitável, ela embarca em uma jornada rumo ao resgate das lembranças perdidas de Luiz Otávio, sem saber que, no caminho, acabará se deparando com suas próprias.
Como a personagem é escritora, e tem mais ou menos minha idade, muita gente acha que é autobiográfico... inclusive ficam com medo de me enviar entrevistas, como a que respondo agora, porque acham que vou ficar pensando igual a Malu, em uma situação semelhante! Mas fique tranquila, Beta, que não estou pensando nada do que Malu estaria, neste momento, tá? ;) hahaha!
Foi meu livro publicado mais recentemente. O primeiro foi "O Pássaro", em 2012, o único romance de época que escrevi até agora. Apesar de ser meu primeiro publicado, foi o terceiro que escrevi! Justamente porque, à medida que escrevia, ia tentando uma chance nas editoras, enviando originais, e sabemos como é difícil conseguir uma primeira oportunidade. Até que, quase 10 anos após começar a escrever meu primeiro livro, consegui a aprovação da editora Novo Século, dentro do selo "Novos talentos da literatura". Apesar da qualidade da editora e da excelente distribuição, uma cláusula do contrato estava me apavorando: eu precisava comprar 500 livros da cota. Sim, 500. É só pegar uma calculadora para entender o sentimento que me fez quase cair de costas. Pensei bastante, me aconselhei com meus pais e, como eu tinha aquele dinheiro parado na poupança, e já tinha tentado por anos suficientes pra entender que não era fácil dar o primeiro passo na carreira, pensei: quer saber? Vou investir em mim. Tanta gente investe em um novo negócio, em uma franquia... eu vou investir em meu sonho. E vou vender esses 500 livros e recuperar todo o dinheiro! Embarquei com o coração aberto naquele desafio e, em menos de 7 meses, já havia vendido todos os 500 livros e estava comprando mais na editora. Foi uma grande vitória, que trouxe inclusive o interesse de outras editoras e da própria Novo Século a publicar mais obras minhas. 
E, no ano seguinte (2013), eu estava lançando "Quero ser Beth Levitt" pela Novo Século - agora, não mais com a cláusula da compra de 500 livros. UFA! (risos) Beth Levitt é meu livro mais puro, mais doce... um "conto de fadas moderno", como dizem os próprios leitores. Depois dele, conversei com a editora sobre "Renascer de um Outono", cujo manuscrito estava salvo em meu computador e intocado desde meus 18 anos, quando eu fizera a última revisão. Pediram para ler. Eu enviei. E me responderam: "olha, a história é legal, mas precisaria mexer para ter a mesma qualidade dos outros". Quando resolvi bater o olho e ler mais a fundo... eu pedi desculpa ao editor por ter entregado aquela história! Meu Deus, quaaaaanta coisa precisava ser mexida! Fechamos contrato de publicação, mas passei meses trabalhando arduamente na história para não apenas revisar, mas corrigir, adaptar, cortar cenas, criar novas... foi uma reconstrução do meu primeiro romance, que saiu em 2015. Depois disso, fui procurada pela editora Arqueiro, e o final da história está no começo da minha resposta! hahaha
* Os leitores podem ver as sinopses dos livros, ler o primeiro capítulo e comprá-los em meu site: http://www.loja.samantaholtz.com.br/livros/



– Como está sua agenda de 2017? Está com trabalho em andamento? Há um novo livro vindo por aí?
Sim, tem livro novo a caminho! Já estou escrevendo uma nova história, feliz demais com o andamento... e, até o final do ano, se Deus quiser, estará nas estantes de vocês! Ainda não posso dar detalhes, mas posso adiantar que será uma história bem feminina. E, claro, com uma boa pitada romântica! Fora isso, acabei de inaugurar minha lojinha virtual, a "Lojinha da Sam", pois voltei a vender meus livros autografados, com envio pelos Correios. Fiquei alguns anos sem vender mais, deixando as vendas apenas pelas livrarias, pois não conseguia conciliar meu tempo com a escrita, divulgação, eventos e vendas, além do outro emprego que tinha. Mas, como agora estou trabalhando apenas com literatura, ficou mais fácil! Além dos livros, a lojinha também tem mimos inspirados em minhas histórias, e mais produtos chegando em breve :) A quem quiser conhecer, o site é: http://www.loja.samantaholtz.com.br/

– Para encerrar, gostaria de pedir que deixe uma mensagem para quem está conferindo esta entrevista no Literatura de Mulherzinha.
Quero agradecer muito a cada um dos meus leitores porque, sem o apoio de vocês ao meu trabalho, nenhuma das realizações que escrevi nas respostas anteriores teria acontecido! É graças a vocês lerem, indicarem, divulgarem e prestigiarem meu trabalho que tudo isso se tornou real. Então, muito, MUITO obrigada do fundo do meu coração! <3 :="" a="" aben="" aqui="" beta="" blog.="" capazes="" carinhosamente="" cora="" da="" de="" deus="" e="" es="" espa="" feliz="" fico="" hist="" m="" mais="" minha="" mostrar="" muito="" no="" o:p="" o="" obrigada="" oe="" pelas="" pelo="" perguntas="" pessoal="" por="" pouquinho="" preparadas="" prometo="" que="" querida="" retribuir="" ria="" rias="" s="" seus="" sua="" t="" tamb="" tocar="" trazendo="" um="" vida="" voc="">

***

Samanta, muito obrigada pela atenção!!! Vou fazer o possível para ler os seus livros e aguardo os próximos para que você sempre esteja no Literatura de Mulherzinha!

E claro, feliz e abençoado aniversário para você!!!!

Bacci!!!!

Beta

sábado, abril 22, 2017

Ciao!!!



Olha eu lendo sheik de novo! E até que estou surpreendida porque a autora colocou alguns clichês e ignorou todos eles!

A outra história deste livro é Descoberta do Desejo, Julia James.

A Serviço da Paixão – Susan Stephens – Harlequin Jessica 2 Histórias 280 (Sentimento & Atração)
(In the sheik’s service – 2016 – Mills & Boon Modern Romance)
Personagens: Isla Sinclair e sheik Shazim Al Q’Aqabi

Isla se desdobrava em vários empregos para pagar a faculdade de medicina veterinária. E ganhou um prêmio para passar um tempo estudando em Al Q’Aqabi. O sheik Shazim não esperava encontrar a elegante dançarina, garçonete e dedicada universitária seria a visitante no projeto da reserva dos animais de Al Q’Aqabi. No deserto, será que os dois conseguiriam controlar o sentimento que os deixava próximos, mas poderia levar a uma situação muito complicada?

Comentários:

– Estou tão acostumada a ler os jogadores de polo da Susan Stephens que não imaginava que ela tivesse uma mão tão boa para escrever sheiks. Costumo não gostar deste perfil de personagem porque eles sempre agem como se fossem o centro do universo e não levam os sentimentos de mais ninguém em consideração. No entanto, temos em Shazim um sheik que tem como prioridade o país e o povo. Embora encontre Isla em situação diferenciada, por incrível que pareça, não a julga, com base nas primeiras impressões. Só aí já marcou muitos pontos comigo.

– Isla é a heroína batalhadora que superou diversos problemas e dificuldades: a morte da mãe, a falta de recursos financeiros para poder se formar em medicina veterinária. A participação no projeto em Al Q’ Aqabi poderia abrir portas para um futuro melhor onde ela poderia se dedicar ao que ela gostava: cuidar de animais. Não imaginou que havia encontrado – em circunstâncias inesperadas – o homem mais poderoso do país onde estaria morando provisoriamente.

– Há uma intensa atração entre os dois. Há respeito de Shazim por toda a luta de Isla. Ela não modera para falar com ele – a sinceridade pauta a relação entre eles. Ela não se exibe querendo conquistá-lo, apenas age conforme a consciência. Ele a ajuda a demonstrar o valor e desperta nele sentimentos que não pensava ter mais. Ela o ajuda a lidar com a consciência por causa de fatos do passado. Um faz o outro melhor. Seria uma suposta conveniência – será que ela seria adequada para ser uma sheika – motivo suficiente para separá-los? 

– Gostei do livro. Gostei do sheik Shazim ser moderno e não agir de forma machista. Gostei da Isla ser uma jovem que luta pelo que quer, para vencer de forma digna e honesta com a força do trabalho. Gostei de ver a forma como Isla respeita o deserto e ama os animais. E de Shazim ter um olhar humano para o povo e para as pessoas – exceto ele mesmo. É uma leitura interessante, me surpreendeu por ter os clichês e não transformá-los em algo maior que o que merece.

– Ah, foi o 50º livro lançado pela autora no selo Harlequin Presents. Parabéns!


Bacci!!!


Beta

sexta-feira, abril 21, 2017

Ciao!!!


Mais uma escolha garimpada por #MadreHooligan. A gente entra na livraria apenas para olhar e ela sai apontando os que chamam a atenção dela. Quando não esbarra em um que já leu – e eu sou obrigada a contar a história inteira pra ela se convencer disso – descobre algum que, em alguns casos, nem eu tinha visto.
Foi o caso. A princípio não me animou. Depois me despertou a curiosidade. O resultado: veio aqui pra casa e agora chega ao Literatura de Mulherzinha.

8 Segundos – Camila Moreira – Suma de Letras
(2015)
Personagens: Pietra e Lucas

A temporada na fazenda soou como castigo para Pietra e era a última esperança do pai dela em colocar a filha em um rumo positivo. Se ela ficasse 30 dias no interior, ele bancaria o apartamento em Paris que ela tanto queria. No entanto, a patricinha mimada chega causando confronto e confusão justo com Lucas, o veterinário da fazenda e sonho de consumo de todas as mulheres da região. Os dois se provocam, se agridem, tentam ver quem leva a melhor. Pietra tira a vida e os interesses de Lucas do prumo. E ela também fica mexida com o “caipira idiota”. Só que ambos estão mais envolvidos que pensam e nem sabem de toda a história que compartilham.

Comentários:

- Aviso aos navegantes: não será um livro que ganhará todos os leitores. Primeiro porque possui forte teor erótico e sexual – já que tanto Lucas quanto Pietra são bem diretos e dispensam as metáforas intrigantes (porque tem algumas que me fazem perder tempo buscando a lógica da associação). Segundo por não ter a típica mocinha desvalida. Na verdade, é quase certo que você irá se antipatizar com ela por boa parte do livro. E terceiro porque também há chances de você não concordar com as atitudes do protagonista. Ah, e quando você leu o erótico ali em cima deve ter pensado no dominador paçoca e na parva, mas pode esquecer esta referência. É muito melhor que aquela lenga-lenga em cinza.

- Pietra é uma jovem rica, filha de fazendeiro ricaço, que foi obrigada a passar uma temporada na fazenda da família por causa da vida sem rumo e sem limites que estava levando. Foi a derradeira medida do pai pra tentar colocar juízo na cabeça dela. A garota que desembarcou na Fazenda Girassol era mimada, irritante, convicta de que todo aquele modo de vida nem era digno do desprezo dela e de que a vida esbanjando o dinheiro do pai, sustentando um namorado em troca de orgasmos era perfeito. Para manter este padrão, o acordo era passar um mês na fazenda em troca de conseguir o apartamento em Paris.

- E nem bem chegou, já causou péssima impressão nos moradores e empregados do pai. Seja em Mariana, a filha do caseiro Santiago, escalada como “babá/dama de companhia 24/7”, no próprio Santiago (que ela ignorou até o nome) e no peão analfabeto que ela ordenou que carregasse suas malas Louis Vuitton.  Antipatia à primeira vista, agravada quando ela descobre que ele era o veterinário da fazenda. Desafiada e desacatada, decidiu que o queria. E quando Pietra queria algo, não parava até conseguir.

- Lucas é o veterinário que queria ser peão de rodeio e que era o sonho de consumo de todas as mulheres da região – e ele não se negava a atender à demanda. No entanto, era capaz de agir como um pitbull enfurecido para proteger a prima quase irmã Mariana de qualquer interação com o sexo oposto. Grosseiro, quando julga necessário, machista (seguindo um código de conduta possível de quem mora no interior “segura suas cabritas que os bodes estão soltos”), como ele mesmo disse “aqui o sistema é bruto”. Acostumado a reinar na região, topou de frente com Pietra, que o desafiava a todo instante.

- Não vou dar muitos detalhes porque vocês precisam ler os livros para tirar as suas conclusões. O que posso dizer é que teremos um conflito que leva aos julgamentos precipitados para, depois, quebrar estes preconceitos de um sobre o outro. Teremos a descrição de um relacionamento sobre o qual você já ouviu por aí – onde um deseja o outro, mas não dá o braço a torcer. Como já antecipei, teremos cenas intensas de teor sexual, com cada coisa recebendo o nome de direito (o que pode não cativar o leitor que não gosta deste estilo, mesmo a gente sabendo que ele é mais próximo do real que, sei lá, citação de poesia nos momentos mais íntimos).

- Ah, a protagonista feminina que exerce plenamente sua sexualidade também pode incomodar – ainda mais porque a gente sabe os estereótipos que a sociedade tenta conformar o “ser mulher” que vem sendo combatidos (ainda bem). Sobre Pietra, o que mais me incomodou (no início) foi o caráter irritante e até mesmo desprezível para lidar com outras pessoas que considerava inferiores a ela. O que ela faz, como ela faz, com quem ela faz dentro (ou fora) de quatro paredes não me diz respeito. No desenvolvimento da trama, também usando a relação dos protagonistas com os demais personagens, a autora dissecou os dois personagens e a gente – e eles mesmos – analisam as próprias ações.

- Quem gosta do estilo machão ogro, vai amar o Lucas do início. Não foi o meu caso, quem acompanha o Literatura de Mulherzinha sabe da minha notória dificuldade com este tipo de personagem (Diana Palmer e Lynne Graham que o digam). Não adianta ser bonito e gostoso. Parece que ele e Pietra tem a incrível capacidade de despertar o pior um no outro. Ao longo da trama, a gente encontra outras características boas e não tão boas dele – teimoso, arrogante, cabeçudo se somam à lista. Na jornada de sofrimento e crescimento, ele vai aprendendo a lidar com as contrariedades que a vida jogou no caminho dele. No fim das contas, apesar de eu ter duvidado no início, o casal funciona, porque são totalmente (im)perfeitos um para o outro.

- Sobre a trama, a jornada de Lucas e Pietra poderia ser, a grosso modo, dividida em três fases (com duas reviravoltas-bomba), mais o encerramento. Por um momento, achei que a autora fosse tomar outro rumo e fiquei feliz que ela não tenha correspondido à minha expectativa. Só fiquei com a sensação de que o final ficou um pouco arrastado. Sabe quando você pensa “agora acabou” e a trama continua? Vivi isso várias vezes. Entendi que eram coisas que precisavam ser contadas. Só não consegui me livrar da sensação de que valeria um modelo diferente.

- No fim das contas, me surpreendeu por justamente não ser o que eu temi que fosse. E mesmo sem ser o estilo que prefiro ler, prendeu minha atenção até o final. Ao contrário de outros livros que te levam para fugir do cotidiano, 8 Segundos me soou real e possível em cada página. Vale você procurar e tirar suas próprias conclusões. Foi bom para variar um pouco. Agora foi para a pilha de #MadreHooligan, a garimpadora. Vamos ver o que ela acha.

- Links: Goodreads livro e autora; site da autora; Skoob.

Bacci!!!

Beta

ps.: Eu e Pedro, o melhor amigo do Lucas, na mesma mesa de café da manhã, seria uma disputa cruel e violenta pelo queijo. #fatão

quinta-feira, abril 20, 2017

Ciao!!!





Vocês sabem que não tenho muita paciência com sheiks – especialmente os que se acham onipotentes. Mas esta história trouxe elementos que me surpreenderam.

Amor Único – Annie West – Paixão Ardente 16 (Herdeiros Secretos 4/5)
(The desert king’s secret heir – 2016 – Mills & Boon Modern Romance)
Personagens: Arden Wills e sheik Idris Baddour

O sheik Idris Baddour, o governante supremo de Zahrat, estava prestes a conseguir um acordo que garantiria paz política com governantes aliados e um casamento que lhe daria a sheika adequada. No entanto, em uma viagem à Londres, foi apresentada a uma “pessoa especial” para o primo e se assustou ao reconhecer a jovem com quem tivera um romance de verão anos antes. Arden nunca soube quem ele era de verdade, o que atrapalhou a localizá-lo quando precisou. Agora ele estava de volta, era um sheik e o sossego dela e do filho tinha acabado de vê – e isso era apenas uma das consequências.

Comentários:

- Vamos à trama: casal se conhece e se apaixona em uma viagem de verão. No entanto, ele vai embora e os dois perdem contato. Quando ela descobre que está grávida (não é spoiler, a série se chama Herdeiros Secretos e a informação consta na sinopse oficial, né?) não consegue reencontrá-lo e toca a vida. Se torna a dedicada mãe solteira de um menino lindo e expressivo de 3 anos.

- Até que em uma festa oficial do governo de Zahrat na embaixada na Inglaterra, ela reencontra o homem com quem se relacionou e descobre que ele era um sheik. A partir daí, adeus sossego de Arden. Porque Idris resolve procurá-la e como eles estão na Inglaterra, onde existe um paparazzo em cada esquina pornto para flagrar pessoas ilustres em situações comprometedoras. Quer prato mais cheio e suculento que descobrir que o príncipe que estava perto de se casar com uma princesa tem uma amante inglesa e um filho ilegítimo? (Porque APURAÇÃO é algo que nem chega ser cogitado nestes casos na ficção e em algumas vezes na realidade também, infelizmente)

- Enfim, vocês podem imaginar o que acontece em seguida. Quem lê sempre este tipo de trama, mata a charada rapidinho. Onde está a diferença? Em um diálogo quando o sheik dá o tradicional piti “você escondeu meu filho de mim!” e é confrontado de forma segura pela protagonista. Afinal de contas, como ela o avisaria se ele disse um apelido como se fosse o nome dele e quase nenhuma informação pessoal? Telepatia? Amei o diálogo que desmontou a arrogância do principie e fez com se desse conta de que as escolhas que ele assumiu na época (por um motivo que escapou ao controle dele) contribuíram bastante para isso. Então se ele não poderia ser culpado, ela muito menos.

- E tenho que fazer umas considerações sobre Arden. Ok, eu compreendo que deixar tudo que lhe é seguro e confiável, embarcar em um casamento pelo bem do filho, da honra e bla bla bla não deve ser a coisa mais deliciosa da face da terra. No entanto, se a vida te deu limões – e você optou (pelo bem alheio) por eles – faça a melhor limonada possível. Ela não enfrenta uma enorme ameaça como já vimos em outros livros – sogra do mal, rival dos infernos, ser usada por interesses políticos. A pior inimiga de Arden é ela mesma. A a insegurança a impede de enxergar que ela está traçando um bom caminho. Só que gato escaldado tem muito medo de água fria e, mesmo a gente entendendo que isso é algo que ocorre com pessoas reais, pode soar um pouco irritante.

- É uma leitura agradável que se salva do mais do mesmo ao impedir o sheik de ser um ogro irritante. E aproxima a protagonista das pessoas reais que estariam inseguras na mesma situação – só teria diminuído um pouquinho a “autocegueira” dela pra não correr o risco de que alguém pudesse achá-la chata.

- Como indicado, foram lançados cinco livros no Brasil. Lá fora são sete livros.

Série Herdeiros Secretos
1. Coração Intocado  - Maya Blake
2. União Avassaladora  - Amanda Cinelli
3. Segredo Precioso - Kate Hewitt
4. Amor Único - Annie West
5. Amor Profundo – Maggie Cox (será lançado em abril)


Bacci!!!


Beta